Autonomia da criança: como estimular? 4 dicas essenciais!

A autonomia da criança é essencial para sua educação como cidadão. É dessa forma que elas se tornarão indivíduos capazes de tomar suas próprias decisões e conviver em sociedade.

Permitir que as crianças tenham suas próprias experiências é uma tarefa difícil tanto para os educadores, quanto para os pais. Apesar de ser complicado abrir mão da superproteção dos pequenos, é possível iniciar o processo de torná-los mais independentes com ações menores e ajudá-los a descobrir do que são capazes de fazer sozinhos.

Veja a seguir como incentivar o desenvolvimento da autonomia em seus filhos!

Entenda porque estimular a autonomia da criança

O incentivo à autonomia deve começar muito cedo. Quanto mais cedo uma criança aprender a resolver os desafios ao seu redor, melhor. Além de contribuir para o desenvolvimento da cidadania, a autonomia das crianças também proporciona uma série de benefícios que vão além de suas funções sociais.

A habilidade de pensar e tomar decisões por si próprio, executar as atividades diárias e a capacidade de ser fisicamente independente estão relacionados diretamente ao desenvolvimento da autonomia. Estimular essa autonomia gera vários benefícios, como:

Desenvolvimento cognitivo acelerado;

  • Habilidade social;
  • Psicomotricidade;
  • Inteligência emocional;
  • Autoconfiança;
  • Autoestima;
  • Persistência.

Veja como a escola e os pais atuam na autonomia dos pequenos

O ambiente familiar é a primeira noção de sociedade que uma criança tem após o nascimento. É nesse meio que ela se desenvolve e trabalha para dar o primeiro passo em direção a uma vida independente na Educação Infantil escolar. Esse incentivo à independência em casa ajudará as crianças a se adaptarem mais rapidamente e conseguir a autonomia na escola. Porém, essa jornada não acaba no ambiente escolar.

Os desafios são ainda maiores no ambiente escolar. Os educadores precisam prestar atenção a cada criança, respeitar o ritmo de cada uma e ainda, oferecer as ferramentas e ações necessárias para proporcionar um bom crescimento infantil. Por isso, é necessário trabalhar a identidade e autonomia já no Ensino Fundamental anos iniciais.

Portanto, esses dois ambientes precisam ser consistentes e trabalhar juntos para permitir que as crianças se desenvolvam independentemente. Nesse sentido, os responsáveis precisam:

Proporcionar um bom ambiente para o desenvolvimento independente;

Oferecer atividades para cada aluno no momento apropriado;

Fornecer liberdade de expressão e escolha.

Obviamente, dar autonomia aos pequenos não tem nada a ver com negligência ou abandono. A presença de um adulto é muito importante para elas em cada etapa. Nesse caso, o adulto passa a ser não apenas um bom observador, mas também um ponto de confiança para a criança.

Confira 4 dicas de como estimular a autonomia dos seus filhos

A fim de ajudar os pais e a escola a fornecer um meio propício ao desenvolvimento independente das crianças, reunimos abaixo algumas dicas de como estimular efetivamente essa habilidade.

1. Utilize brincadeiras

Brincadeiras são excelentes atividades para desenvolver a autonomia desde cedo. É através delas que as crianças aprendem mais, sendo muito eficazes no estímulo à autonomia infantil. Você pode criar jogos com uma finalidade específica ou aproveitar brinquedos que já façam parte do dia a dia das crianças. O importante é usá-los para incentivar as crianças a fazerem algo por conta própria.

Por exemplo, jogos de quebra-cabeça, jogos refrescantes de transporte, busca de palavras, amarelinha e outros jogos irão ajudá-la a desenvolver o raciocínio lógico, senso crítico, atenção direcionada e difusa, movimento e desenvolvimento físico, equilíbrio e atenção.

2. Incentive a iniciativa

A maioria das crianças gosta de ajudar os adultos nas atividades diárias. Isso faz com que se sintam mais capazes e úteis, tendo a sensação que já são grandes.

Portanto, crie uma situação em que as crianças tenham a oportunidade de ajudar no que for possível. Dessa forma, elas se sentirão parte do todo, sua autoestima vai aumentar e sua consciência de habilidade será aprimorada. Possibilitar a participação dos pequenos nessas atividades geram neles um senso de responsabilidade, senso coletivo, proatividade e empatia.

3. Deixe-as fazer escolhas

É muito difícil abrir mão do controle e entender que o direito de escolha, se usado da maneira certa, não será prejudicial às crianças. A dica é aplicar essa autonomia aos poucos para que a criança se acostume com naturalidade.

Desse modo, elas terão confiança e não terão medo de fazer suas próprias escolhas. Você pode iniciar o processo limitando suas opções e dando as orientações necessárias. Assim, a criança começará a entender que ao escolher uma coisa, automaticamente terá que desistir da outra. Isso proporciona inúmeras aprendizagens para as crianças, e essas aprendizagens serão o legado da vida.

4. Encoraje-as em tarefas difíceis

O medo é o mecanismo de defesa do corpo. É por meio dele que os humanos sabem que certas ações podem ser realizadas com segurança até certo ponto. Mas o certo é que o medo também é o principal fator limitante, que acabará por trazer uma estagnação prejudicial às pessoas.

Isso ocorre porque estamos acostumados a nos restringir por medo. Quando a criança cresce em um ambiente super protetor, ela se torna um indivíduo cheio de temores e receios acerca do mundo ao seu redor. Por isso, é fundamental que os adultos entendam que esse cuidado excessivo é prejudicial ao crescimento das crianças.

Então, procure ajudá-las a superar esses medos, encorajando-as a executar tarefas difíceis. Com o tempo, irão se tornar mais independentes e aprender a lidar com os mais diversos desafios.

Você percebeu a importância de desenvolver a autonomia da criança desde cedo? Assim, elas crescerão com sabedoria e aprenderão a cuidar de si mesmas em qualquer circunstância.

Compartilhe esse conteúdo:

Menu